Preconceito contra nordestinos- Minha resposta

Já comentei aqui no blog sobre o que penso e acho sobre preconceito seja ele qual for, mas hoje especificamente vim publicar a minha resposta aos comentários preconceituosos na internet sobre nordestinos.

Para começo de conversa aqui estão alguns comentários que encontrei.

  1. Desculpem nordestinos, mas essa região do Brasil merecia uma bomba como em Nagasaki, para nunca mais nascer uma flor sequer por 70 anos.
  2. Não me acho superior ao povo nordestino,porque na realidade… nordestino não é gente né?

Pretendia colocar mais comentários, mas são tão podres e ofensivos que sinto dor e até mesmo vergonha de repassar-los.

Entre esses muitos comentários afirmando que os nordestinos são burros, pobres, não tomam banho, nojentos e sem cultura.

É incrível  a capacidade que o ser humano tem de ferir e magoar o próximo.

Eu não vou descer ao nível dos autores destas frases, apenas acho que o que lhes falta é conhecimento, vou responder-los de uma maneira educada e de uma maneira como todas as pessoas deviam agir umas com as outras, pois o respeito é essencial para a boa convivência.

Somos um povo alegre, acolhedor e hospitaleiro, e não importa que seja você mesmo que tem esse tipo de opinião sobre nós, como qualquer outra pessoa que vier a nossa terra, será bem recebido, a qualquer hora que chegares em nossa casa será recebido com alegria, e apesar de sermos pobres, se o alimento que tiver em nossa mesa for pouco ele será dividido contigo.

Eu tenho orgulho de ser nordestina, de participar da história de um povo sofrido, castigado pelas condições do tempo, mas, que continua sempre com o sorriso no rosto,que luta cada dia sob o sol forte contra a escassez de água, que vira e revira, inventa e reinventa modos de economizar para sobreviver, para manter a vida de nossos animais. Esse povo que anda sob o sol forte, que tem os pés rachados da terra quente, que busca água na fonte… isso só prova o contrário do que vocês pensam, somos um povo batalhador e persistente, em vez de sermos preguiçosos.

E apesar de tudo isso, nossa dignidade continua forte e intacta. E não somos burros, o fato de julgar alguém por sua região, isso sim é burrice.

Somos um povo carregado de histórias, de cultura e de lutas, e temos sotaque arrastado sim, e daí? estamos desrespeitando alguém falando assim?

Você que diz que não temos cultura, que somos burros, por acaso já ouviu falar em, Jorge Amado, Raul seixas, Luís Gonzaga, Chico Anísio,Raquel de Queiroz, Graciliano Ramos,Renato Aragão, Tom Cavalcante, José Wilker,Reginaldo Rossi, Gal Costa, Dominguinhos, Caetano Veloso, Castro Alves, José Lins Do Rego, Gregório De Matos….??????

E tantos outros nomes, e talentos que não foram citados.

Emfim finalizo dizendo ” MEUS PÊSAMES” para quem pensa de maneira tão hipócrita.

Anúncios

Ontem foi dia do idoso, você parabenizou alguém? CARTA DE UM IDOSO.

Infelizmente a nossa sociedade é repleta de preconceitos, e um dos inúmeros preconceitos existentes é o preconceito contra o idoso.

O que falta nas pessoas é sabedoria e humanismo, para qualquer tipo de preconceito, pois o preconceito é de um nível baixíssimo, diminuir, ridicularizar, excluir uma pessoa,ou outras coisas do tipo levando em conta, cor, idade, nacionalidade, sotaque, classe social, deficiência, opção sexual… É  o cúmulo da falta de respeito, falta de  educação, e falta de ética.

Por isso eu vim prestar a minha homenagem aos idosos, pois muito deles são desrespeitados em filas, em transporte públicos, em hospitais, e até mesmo considerados como inválidos.

Aqui está a minha admiração e respeito para com todos os idosos.

CARTA DE UM IDOSO.

” Muitas pessoas até me chamam de inválido, até me disseram que lugar de velho é em casa na cadeira de balanço lendo jornal e tomando chá, mais saibam que tenho orgulho de ser idoso, tenho orgulho de minha idade, e cada ruga que tenho é uma experiencia de vida.

Hoje em dia nem a sociedade e nem o governo me valoriza, mas esquecem o que já fiz para esse país, o progresso que tanto falam, pois é, fiz parte dele também, contribuir muito para isso, as minhas mãos calejadas já plantaram e colheram muito, para que hoje a agricultura esteja desenvolvida assim. Derramei muito suor ajudando a construir escolas prédios e casas, escolas que hoje os filhos de muitas famílias estudam, prédios que muitos dos teus hoje trabalham, e casas que serviram para muitas famílias habitarem.

Eu lutei nas ruas por leis que hoje  favorecem muitos trabalhadores, e pelos direitos de muita gente.

Trabalhei de sol  a sol para o sustento da minha família, para pagar a faculdade dos meus filhos, que hoje são o médico que te atende, o professor que ensina teus filhos, o advogado que te defende, o agricultor que planta o alimento que chega na tua mesa.

E depois de tudo isso ainda chega alguém e me chama de inválido, chego nas filas e alguns reclamam do meu direito, chego nos estacionamentos e alguém tomou  a minha vaga, chego em um transporte público e alguém finge estar dormindo para não me dar o lugar. O governo cada dia que passa aumenta regras para dificultar a aposentadoria de muitos assim como eu, que andam esgotados do trabalho de quase uma vida inteira.

E o que me restou? o orgulho de ser quem sou, de ser quem eu fui, e de ter feito o que já fiz.

Alguém e alguns reconheceram, e outros um dia reconhecerão, pois a idade chega para todos.